Caraminholas
   FÁBULA

não lhe é dado saber se terá o rosto beijado. mas tem a certeza de que quer ter o rosto beijado. oferecerá a face. esperançado de que lábios repousem. de que a  língua roce, acaricie. como quem, ao beijar-lhe a face, beijasse a cicatriz, lambendo-a. como quem soubesse, ao beijar-lhe, lambendo-lhe a cicatriz, enxergar e retransmitir fragmentos de uma história inventada, vivida sem nem ao menos ter sido possível sabê-la. e o beijo no rosto, direto na cicatriz que verdadeiramente não possui, resultasse, sob uma trilha sonora arrancada de um conjunto de violoncelos, em uma fábula real.



Escrito por Marcos Pardim às 19h23
[] [envie esta mensagem] []


 
   E-MAILS E POLÍTICA

 

Diariamente, somos bombardeados por mensagens que enchem os nossos endereços eletrônicos. Em tempos de eleições majoritárias, esmagadoramente elas trazem alguma ilação com uma certa candidatura. No mais das vezes, deleto - como faço com power points e correntes. Hoje, recebi uma dessas mensagens vindas de uma pessoa de meu círculo de amizades. Abri-a. Era um artigo longo, assinado por uma tal professora universitária, currriculo de doutora em linguística, dissimuladamente fazendo campanha para um candidato e grosserias e ataques à uma candidata, nem precisamos "queimar pestanas" para saber qual. Acusava petistas e comunistas de uma série de pecados históricos. 

A internet é mesmo um belíssimo exemplo de democracia, sobretudo no que concerne ao direito de acesso à informação. Nada do que, individualmente, fizermos (sob minha míope e astigmática visão) de achincalhe ou de covardia, será capaz de me fazer descrer na Democracia (e agora a escrevo em maiúscula).

Feito esse preâmbulo, lamentei profundamente o conteúdo do artigo. Não sou petista. Não sou comunista. Mas sou obrigado a admitir que admiro muito a capacidade de resistência de quem foi ou é, tanto uma coisa como outra. Sobreviver a um massacre midiático tão intenso e a campanhas difamatórias tão rasas e tão cheias de ódio, preconceito e recheadas de um ranço de poder tão atávico, não é mesmo uma tarefa das mais fáceis.

Esse artigo que recebi, por exemplo, que eu li todinho, de cabo a rabo, é um exemplo do que lamentei acima.

O fato de ter sido corretamente escrito, do ponto de vista linguístico, não tira dele o quanto de baixeza e mixórdia intelectual ele engendra. E a julgar pela quantidade deles espalhados pela internet, que sequer me dou ao trabalho de abrí-los quando os recebo, dá para imaginar o quanto a elas (baixeza e mixórdia) estamos sujeitos.

Respeito, e sempre procurarei respeitar, quem diverge politicamente. Mas respeito, e sempre procurarei respeitar, mais ainda quem diverge honestamente, sem desrespeitos à inteligência (ou à falta dela, como pode ser o meu caso) alheia.

Em tempo: é apenas um palpite particular, sem nenhum embasamento mais científico, mas intuo que a mulher achincalhada nesse artigo ( e em tantos outros) será a próxima presidente do Brasil, talvez sem nem ao menos precisar de segundo turno. Por falar nisso, eu voto em Dilma para presidente, Mercadante para governador e Célio Turino para deputado federal. E você, vota em quem? Me diga aí.



Escrito por Marcos Pardim às 09h36
[] [envie esta mensagem] []


 
   POESIA SILENCIADA

Um minuto de silêncio. Morreu um poeta. Um grande poeta: Roberto Piva.

Que me perdoe a prosa, que sei muito importante, mas poesia é fundamental.



Escrito por Marcos Pardim às 10h56
[] [envie esta mensagem] []


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SALTO, Homem, de 46 a 55 anos, Arte e cultura, Esportes, sobretudo gente

HISTÓRICO



OUTROS SITES
 agencia carta maior
 theo
 celia musilli
 xico sá
 edu
 marilena
 marcia cardeal
 sonia marini
 edilson pantoja
 valéria
 cláudia (oxigênio)
 claudio eugenio luz
 cecilia cassal
 diovvani mendonça
 vássia silveira
 leonor cordeiro
 sayô & shara
 ivã coelho
 maria claudia
 luzzsh
 régis falcão
 clarice
 marla de queiroz
 douglas d.
 saramar
 iara maria
 fábio reoli
 árvore dos poemas
 elton zanoni
 marco antonio araújo
 ministério da cultura
 fasam
 aracati
 compadre attié
 júlia
 carolina
 carta capital
 wilson caveden
 cultura salto
 caros amigos
 rodrigo vianna
 zé geraldo couto
 leonardo brant
 bruno cava